Copyright © 2018. | RCAT | Todos os direitos reservados - All rights reserved

Caracterização da Tecnologia de Acumulação Térmica

 

1.Introdução

 

Todos os produtores e distribuidores de energia eléctrica enfrentam, desde sempre, o problema da gestão da potência máxima disponível. Para o produtor, esta questão centra-se na potência máxima disponível dos seus grupos para a produção de energia, a qual tem um valor fixo. Para o distribuidor, a questão está no dimensionamento das linhas de transporte e nos transformadores existentes ao longo dessas linhas, que também possuem uma potência máxima para o transito da energia. Sabendo-se que a potência não é mais do que a energia instantanea, estes operadores sempre lidaram com a dificuldade resultante dos consumos associados à actividade humana diurna (escritórios, superficies comerciais, etc.). Isto porque estes consumidores não apresentam consumos nocturnos significativos. Assim, todos os grupos, linhas de transporte de energia e transformadores, estão sobredimensionados para o período nocturno e subdimensionados durante o periodo diurno. Com o aumento do numero deste tipo de edificios, esta assimetria agrava-se sempre no tempo. Como consequência os preços da energia e da potência eléctricas variam ao longo das horas do dia. São sempre mais elevados nos períodos de maior consumo, reflexo dos condicionalismos expostos acima.

 

2. Como opera a Acumulação Térmica (bancos de gelo)

 

Trata-se de uma tecnologia que ajuda a nivelar os consumos eléctricos ao longo das 24 horas do dia. Produz-se e acumula-se, durante a noite (horas de menor custo em energia eléctrica), cerca de 45% da energia térmica que se irá consumir no periodo diurno. Assim, os equipamentos produtores de água gelada instalados para o AVAC, são de menor dimensão o que, por si só e à partida, garante a menor potência eléctrica solicitada durante o dia. Estes equipamentos são também desligados nas horas onde o custo da potência é aplicado (horas de ponta) que, em simultaneo, são as que possuem o maior preço na energia consumida. Consome-se a mesma energia eléctrica nas 24 horas, mas com uma ponta tomada diurna bastante inferior e contratando menos potência. Num edificio tipico (escritórios, superficies comerciais, etc.), os equipamentos produtores de água gelada representam 30 a 35% da potência eléctrica instalada e da potência eléctrica tomada. Um cliente com acumulação térmica liberta potência ao operador eléctrico e ao distribuidor eléctrico, permitindo-lhes vender esta potência libertada a outro cliente. Por outras palavras a mesma central produz e distribui mais energia nas 24 horas.

 

3. Relação custo/beneficio e sua estabilidade no tempo

 

A relação custo/beneficio é beneficiada pelo facto de esta tecnologia ser passiva (não possui componentes móveis), o que anula os custos adicionais de manutenção. O sistema de controlo, associado a esta solução, não introduz dificuldades. O período de vida útil dos equipamentos de maior qualidade existentes no mercado, ultrapassa os 20 anos. A TIR (Taxa Interna de Rentabilidade), no décimo ano da vida útil do investimento, varia entre 12 e 25%, conforme a dimensão da instalação. Em relação à estabilidade no tempo, a aplicação desta tecnologia não tem apresentado surpresas, visto que não contraria a evolução natural do mercado (pressão para o aumento dos preços da potência e da energia durante o dia, resultante da assimetria referida na introdução).